Babaçu

ba.ba.çu/substantivo. Palmeira oleaginosa do Norte do Brasil. (FERREIRA, 2014) Uso: No extrativismo do babaçu que o homem encontra alternativas para o seu sustento. (IRPAA, 2010)

Basafada

 

ba.sa.fa.da/substantivo.  Briga ou confusão. Uso: Na festa,  houve muitas basafadas (CARDOSO, 2011).

Bogó

 

bo./substantivo.  Nome dado a um tipo de bolsa utilizada pelos caçadores para guardar o badogue, balas de badogues e as caças. Também conhecido como aió. Uso. Na feira de Uauá, você encontra bogós bem feitos (CARDOSO, 2011). 

Babosa

ba.bo.sa/substantivo. Planta liliácea de suco amargo. (FERREIRA, 2014). Uso: Nós produzimos os medicinais que são aroeira, babosa e juá. (IRPAA, 2011)

Batedor de Pandeiro

 

Locução adjetiva.   1. O batedor de pandeiro é o pandeirista do Samba de Véio. 2. Diz respeito à pessoa responsável por, durante a manifestação do samba de véio, comandar o tamborete, um dos principais instrumentos de percussão do samba. Geralmente, é uma função exercida por homens. Uso: O meu tio é batedor de pandeiro (CAVALCANTE, 2014)

Boia

 

boi.a/substantivo.  Nome dado a qualquer tipo de refeição. Uso. O cara já vai filar a boia da sogra (CARDOSO, 2011).

Baboseira

 

ba.bo.sei.ra/substantivo. 1.  O nome baboseira é usado para designar atitudes tolas e bestas. 2. Uma pessoa que faz baboseira é uma pessoa que faz e fala besteira ou bobagem.   Uso:  Pare de fazer baboseira, bobão! (CARDOSO, 2011)

Bateria

 

ba.te.ria/substantivo. 1. Suporte da cozinha para guardar panela; 2. Pilhas de rádio Usos: (1) Pegue a panela que está na bateria; (2) A bateria do rádio está fraca (CARDOSO, 2011).

Boiado

 

boi.a.do/adjetivo.  1.  O adjetivo boiado significa cansado; 2. Diz-se que uma pessoa está boiada, quando se encontra exausta, após um dia de trabalho. Uso. O velho chegou boiado do roçado (CARDOSO, 2011).

Babugem

 

ba.bu.gem/substantivo.  Um tipo de erva que brota com as primeiras chuvas. As babugens nascem com força no chão (LOPES, 1992, p. 19).

Baticum

ba.ti.cum/substantivo. Batida insistentemente repetida com objetos sonoros. Uso: O rio fica assustado de tanta gente em toda beira, no subir e descer, em um baticum danado de lata (LOPES, 1992, p. 80).

Bolir

bo.lir/verbo. 1. Mexer em algo ou alguém. 2. Bulir. 3. Expressão também usada para designar mulheres que não são mais virgens. Uso: Só se ouve é notícia de moça bolida (LOPES, 1992, p. 82).

Bação Verde

Expressão adjetiva. Uso: A pratica do bação verde ameniza a salinização do solo. (IRPAA, 2011)

Bebedor

Be.be.dor/substantivo . Recipiente para dar de beber a animais. (FERREIRA, 2014) Uso: As pessoas chegam aqui bombeiam a água, enche um bebedor sem nem um custo. (IRPAA, 2014).

Bolodoro

 

bo.lo.do.ro/substantivo.  Nome dado a uma conversa desnecessária e repetitiva. Uso:  Homem, vamos parar com esse bolodoro (CARDOSO, 2011).

Bacuri

 

ba.cu.ri/substantivo 1. Nome dado ao filhote do porco, porco pequeno; 2. No semiárido baiano, bacuri  também significa criança, menino.  Usos:  (1) João leve a lavagem para o bacuri; (2) Esse bacuri já fala que nem homem feito.(CARDOSO, 2011)

Beiju

 

bei.ju/substantivo. 1. Nome dado a uma das iguarias feitas com a massa de mandioca.  2.  Atualmente, em várias regiões do Nordeste, o beiju é também conhecido como tapioca.  O café da manhã nordestino tem beiju de tapioca (BUENO, 1986).

Bomba d'água popular

Aproveita os poços tubulares desativados para extrair água subterrânea por meio de um equipamento manual, que contém uma roda volante Quando girada, essa roda puxa grandes volumes de água, com pouco esforço físico. Pode ser instalada em poços de até 80 metros de profundidade. Nos poços de 40 m, chega a puxar até 1.000 litros de água em uma hora. (FERREIRA, 2014) Uso: Bomba d’água popular, ela retira muita água para abastecer uma casa, plantar e dar aos animais. (IRPAA, 2014).

Badalar

 

ba.da.lar/verbo.  O verbo badalar significa o ato de balançar e soar o badalo do chocalho. Uso: Tem também o badalar dos chocalhos, berros, urros, e ‘rinchar’ dos animais: cabras, gado, jumentos, cavalos e outros (LOPES, 1992, p. 29).

Beiradeiro

 

bei.ra.dei.ro/substantivo 1. Pessoa que vive na ribeira ou na beira rio.  2.  Uma pessoa beiradeira é aquela que cultiva e conhece a beira do rio em todas as suas fases. Uso: Os beiradeiros sonham com roça grande de plantação, com água puxada por motor (LOPES, 1992,  p. 80).

Bomba de água

Locução adjetiva. Máquina para elevar água. (FERREIRA, 2014) Uso: A gente ganhou uma bomba de agua e até as crianças puxam agua nela. (IRPAA, 2012).

Badalo

 

ba.da.lo/verbo.  Nome dado a uma peça de metal suspensa no interior do chocalho com uma bolinha na extremidade que serve para fazer o som dos chocalhos.  Uso:  O som do chocalho ajuda encontrar as vacas na caatinga (CAFÉ, 2014)

Bendego

ben.de.gó/substantivo. Dança de origem africana, sempre é dançada em forma de um circulo, acompanhada de tambores e palmas. Era sempre dançada por escravos por maneira de diversão. Uso: O pessoal daqui desta comunidade não dança bendegó não.

Bombeiar

Bom.bei.ar/verbo. Usar uma bomba para encher com um fluido, ou para elevar ou movimentar um fluido. (FERREIRA, 2014) Uso: As pessoas chegam aqui bombeiam a água, enche um bebedor sem nem um custo. (IRPAA, 2014).

Badogue

 

ba.do.gue/substantivo  1. Nome dado ao estilingue, instrumento usado para caçar passarinhos. 2. Sinônimo. Baladeira. Uso: José pegou o badogue e foi para o mato caçar (CARDOSO, 2011)

Benzedeira

ben.ze.dei.ra/substantivo. Mulher que curar uma pessoa doente (BUENO, 1989), aplicando sobre ela gestos, em geral acompanhados por alguma erva com pretensos poderes sobrenaturais, ao tempo em que se aplica uma prece. Uso: Mariana foi na benzedeira ontem.

Bombeta

 

bom.be.ta/substantivo. Nome dado ao boné.  Uso:   João perdeu a bombeta na rua, durante o comício (CARDOSO, 2011).

Bagaceira

 

ba.ga.cei.ra. 1.  Quando algo não dá certo, prejuízo; 2. Um tipo de pinga feita com bagaços. Usos: (1) A reunião da associação foi uma bagaceira; (2) A bagaceira é uma cachaça boa (CARDOSO, 2011).

Berrante

ber.ran.te/substantivo. 1. Buzina de chifre usada pelos boiadeiros para guiar a boiada; 2. Instrumento de sopro que produz o som do berro. 3. No sertao semiarido baiano, o berrante é também utilizado para convocar os vaqueiros quando estao perdidos na caatinga e para a prática do ajuntamento. Uso: Ele tocou o berrante e, logo, os vaqueiros foram aos poucos chegando de todo lugar.

Borrego

 

bor.re.go/substantivo.  1. Nome dado ao filhote da ovelha. 2. O borrego é o carneiro que tem no máximo um ano de idade. Feminino. Borrega. Uso.  No folgar da apartação, sobram borregos pela falta das mães  (LOPES, 1992, p. 21).

Bagaço

 

ba.ga.ço/substantivo  1.  O nome bagaço significa pessoa desqualificada, sem respeito. 2. Resíduo de frutos ou de outras substâncias depois de espremidas; 3. Resto. Uso: Você é homem ou é um bagaço?.(CARDOSO, 2011)

Berrar

 

ber.rar/verbo.  1. O verbo berrar significa soltar gritos;  2.  Manifestar  em voz alta. Uso: O bezerro berra com a falta da mãe (CARDOSO, 2011).

Botado

bo.ta.do/adjetivo. Do verbo botar, colocado, posto. Uso: Guardar os dias santos, evitar atraso de praga jogada, cuidar contra feitiço botado, proteger as coisas da gente de olho ruim (LOPES, 1992, p. 24).

Baitola

bai.to.la/substantivo. 1. homem afeminado. 2. expressão usada como sinônimo de homossexual do sexo masculino. 3. Uso: Fulano é baitola.

Berreiro

 

ber.rei.ro/substantivo.   1. Do verbo berrar. 2.  Conjunto de sons significativos emitidos pelos animais quando estão reunidos no curral. UsoO berreiro zoa no mundo, de todo canto do chiqueiro ( LOPES, 1992, p.21).

Botar

 

bo.tar/verbo.   Colocar, pôr. Uso. Guardar os dias santos, evitar atraso de praga jogada, cuidar contra feitiço botado, proteger as coisas da gente de olho ruim (LOPES, 1992, p. 24).

Baixada

bai.xa.da/substantivo. Planície entre montes; terreno baixo ao pé de uma lomba. (BUENO,1898)

Berro

 

ber.ro/substantivo. O nome berro, além de estar associado ao som significativo emitido pelo gado (bode, carneiro, vacas, etc),  também pode ser usado para fazer referência ao grito humano.  Uso: Ela deu um berro para chamar a atenção da rua (LOPES, 1992, p. 19).

Bozé

 

bo./substantivo.  1.Palavra do acervo lexical indígena. 2. Um tipo de artesanato feito de barro, utilizado para fazer beiju, colocar bebidas tradicionais como a jurema e o vinho de milho. 3. Recipiente para guardar alimentos.  Uso:  Os visitantes gostaram do bozé feito pelo povo Kiriri (REIS, 2014).

Baixar o Caboclo

Expressão. No ritual do Samba de Véio, baixar o caboclo[1] , diz respeito à manifestação do caboclo. O caboclo, segundo a crença dos povos quilombolas do semiárido é um espírito vivo e forte, que se apresenta não para assustar, mas para trazer sabedoria e ensinamento. Uso: Baixou o caboclo nele (BORGES, 2014).

Sem vírgula

Besta

bes.ta/adjetivo. Qualidade não muito boa referente a indivíduos considerados tolos. USO: Tens uns bestas no mato que acham burragem este negócio de estudo desenvolvido (LOPES, 1992, p. 69).

Bozo (Búzio)

bu.zo/substantivo. Objeto feito de chifre, mas de apenas um chifre. O buzo tem um somrouco e de alcance inferior ao de um berrante. Era carregado e amarrado na garupa da sela e utilizado para chamar outros vaqueiros em situações especiais. Quando os vaqueiros corriam atrás de um boi, o vaqueiro que o pegava utilizava o buzo para sinalizar o local onde estava ou quando um vaqueiro se perdia, os vaqueiros saiam pelo mato a sua procura e, para avaliarem a posição onde se encontravam e até mesmo para possibilitarem a aproximação de quem procuravam, buzinavam com insistência. Nessas situações, portanto, o buzo era utilizado para localizar e chamar outros vaqueiros mais distantes ou pessoas perdidas no mato. Enfim, em uma situação de aperreio, qualquer que fosse ela, o buzo era utilizado para localização daqueles que o ouvissem. O buzo era utilizado, também, assim como se faz com o berrante, na condução do gado por estradas. Nesse caso, o vaqueiro que ia a frente buzinava o buzo em formato de som longo e manso. Nos finais de tarde, no período de verde, ocorria também dos vaqueiros se porem a buzinar no terreiro da fazenda com a intenção dechamarem as vacas de curral que estivesse nas redondezas. Alem dessa função, o buzo também era utilizado como copo, tanto para retirar água das lagoas para beber, como para beber cachaça. Nesses casos, os vaqueiros tapavam a parte fina e bebiam o liquido através da parte grossa (LOPES, 2014).

Balceiro

 

bal.cei.ro/substantivo.   Nome dado aos bagaços que são espalhados pelas águas do rio,  após as enchentes. Uso: O balceiro arriou a cerca (CAFÉ, 2014) 

Bestando

bes.tan.do/gerúndio. Perdendo tempo. Uso: Ficam ai só olhando admirados achando que a gente está bestando, que é coisa futuro (LOPES, 1992, p. 69).

Brabo

 

bra.bo/adjetivo. 1. O mesmo que valente ou bravo. 2. Um sujeito pode ser brabo ou pode estar brabo, quando é ou quando está manifestando um estado de valentia. Sinônimo: bravo.  Uso: O pai da menina é brabo (CARDOSO, 2011).

Banco de sementes

Banco que armazena sementes, de modo a evitar que certas culturas desapareçam, assim, no caso de uma cultura ser destruída em todos os outros lugares, ainda existirão sementes dessa cultura para plantio. Os bancos de sementes também podem ser uma opção para agricultores familiares que desejam ser independentes em relação às empresas produtoras de sementes, produzindo suas próprias sementes de qualidade e conservando as sementes nativas, conhecidas como sementes crioulas. (FERREIRA, 2014) Uso: Cada família tem o seu banco de sementes familiar, também existe também o banco de sementes comunitários para dar autonomia para a localidade.  (IRPAA, 2011).

Biboca

 

bi.bo.ca/substantivo. 1. Um tipo de moradia pequena e escondida. 2.  Um casebre é uma biboca. Uso:  Em que biboca você mora, lá em São Paulo? (CARDOSO, 2011).

Brefa

 

bre.fa/adjetivo. Um indivíduo que se encontra com a boca funda; 2. Banguela. Uso:  Há como envelhecer sem ficar com a boca brefa (CARDOSO, 2011p.17).

Bandas

ban.das/substantivo. Parte lateral de um objeto. = LADO. (FERREIRA, 2014) Uso: Colocação de bandas de tiras de pneus. (IRPAA, 2012)

Bica

bi.ca/substantivo. Parte por onde a água ou qualquer líquido cai, de certa altura. (FERREIRA, 2014) Uso: Tira as bicas, os canos da cisterna para limpar. (IRPAA, 2013).

Brejo

bre.jo/substantivo. 1. Terreno que fica sempre úmido ou alagado,(BUENO, 1898) onde se faz plantações. Bastante fértil com pequenos seres vivos adaptados ao meio. 2. Ir para o brejo o mesmo que cair no esquecimento, ser abandonado. Uso: Neste ano de seca vou ter que plantar no brejo.

Banguê

 

ban.guê/substantivo. Indígena.  Banguê é um objeto feito com vara e cipó utilizado para transportar outros materiais pesados. 

Bichado

 

bi.cha.do/adjetivo.  1. Que está com bichos. 2. Um fruto está bichado quando está estragado por ataques de bichos. 3. Jogador contundido.  Sinônimos: estragado, machucado.  Uso:  (1) O mamão está bichado; (2) O atual time do Banzaê só tem jogador bichado (CARDOSO, 2011).

Brevidade

bre.vi.da.de/substantivo. 1. Bolo a base de polvilho, ovos e açúcar. (RIOS, 2009). 2. Algo breve, que aconteceu rapidamente. (RIOS, 2009)

Bapucosa

ba.pu.co.sa/substantivo. Barramento com pneus usados para contenção de solo e água. (FERREIRA, 2014) Uso: O bapucosa barramento com pneus, usado para contenção de solo e água. (IRPAA, 2012)

Bicheira

 

bi.chei.ra/substantivo  1. Ferida nos animais causada por insetos parasitas que se alojam no corpo do animal. 2. Inflamação nas lesões dos animais causada por larvas de moscas. Uso:  Um bicho com bicheira ter que ser curado (LOPES, 1992, p. 15).

Bride

 

bri.de/substantivo 1. Objeto de ferro utilizado na boca do animal de montaria para controlá-lo. Uso: Os passarinhos começam a fazer alvorada. A barra do dia clareia. O animal amarrado no pau do terreiro é arriado: Bride, pele, sela peitoral. Alforjes, cochinil e a pele da criação amarrada na garupa (LOPES, 1992,  p. 26).

Baque

 

ba.que/substantivo 1.  O nome baque, em geral, significa o som ou o ruído da queda. 2. Uma pessoa leva um baque quando cai com estrondo, mas também quando leva um susto ou cai em ruínas. Uma notícia ruim deixa a pessoa baqueada. Usos: (1) Só ouvi o baque do menino; (2) Levou um baque com a notícia. (CARDOSO, 2011)

Bicudo

 

bi.cu.do/substantivo. 1. Aquilo que é identificado através do bico. 2. Um tipo de chute com o bico do pé ou da chuteira.  Uso:   O atacante bom sabe fazer gol até de bicuda. 

Broa

bro.a/substantivo. 1. Pão de milho, geralmente arredondado e de côdea dura. 2. Bolo feito com farinha de milho e mel. (FERREIRA, 2014) Uso: Hoje nós faz a peta, o sequilho, a broa e vendemos para as escolas. (IRPAA, 2011).

Baquear

 

ba.que.ar/verbo  1. O verbo baquear significa cair com baque; 2. Arruinar-se. 

Biongo

 

bi.on.go/substantivo. Espaço pequeno relacionado à moradia. Uso. Agora, sim, comprei o meu biongo (CARDOSO, 2011).

Broca

 

bro.ca/substantivo.  1.Buraco. 2. Pua, instrumento com que se abrem buracos circulares. Uso: Caiu e fez uma broca na calça (CARDOSO, 2011, p.17).

Baraúna

ba.ra.ú.na/substantivo. Árvore da família das anacardiáceas (Schinopsis brasiliensis), muito comum na caatinga, onde atinge até 12m de altura. Folhas aromáticas, ramos espinhosos e flores alvas muito pequenas; o fruto é alado e a madeira, duríssima, serve para dormentes.

Bitola

Bi.to.la/substantivo . 1.medida reguladora; padrão. (FERREIRA, 2014) Uso: Pneus da mesma bitola para cada camada. (IRPAA, 2012)

Brubutão

 

bru.bu.tã/substantivo.  O mesmo que correria, confusão.  Uso: Que brubutão é esse aí na cozinha? (CARDOSO, 2011, p.17).

Barragem

bar.ra.gem/substantivo. 1. Barreira artificial, feita em cursos de água para a retenção de grandes quantidades de água. A sua utilização é, sobretudo para abastecer de água zonas residenciais, agrícolas. As barragens são feitas de forma a acumularem o máximo de água possível, tanto através da chuva como também pela captação da água caudal do rio existente. 2. Ação de barrar algo. Uso: A barragem é sempre bom para a gente da comunidade, pois podemos usar a água para tudo.

Bizunga

 

bi.zun.ga/substantivo. Nome dado ao beija-flor. Uso: A menina não tira o olho do bizunga (CARDOSO, 2011).

Bruto

bru.to/adjetivo. 1. Pessoa ignorante. 2. Agressiva. 3. rústica. Uso: Os bichos são brutos do mato (LOPES, 1992, p. 15)

Barramento

bar.ra.men.to/substantivo. Estrutura destinada a interceptar o curso de água de rio, visando à sua regularização, parcial ou total e à alimentação das obras de derivação. (FERREIRA, 2014) Uso: A água com uma qualidade adequada que não se torne salobra após o barramento. (IRPAA, 2012)

Blechó

 

ble.chó/substantivo.  Uma bolsa feminina utilizada para carregar objetos pessoais. Geralmente é pequena.

Bucho

 

bu.cho/substantivo. 1.Nome dado ao estômago, barriga. 2. Parte do corpo do bode  utilizada para enrolar as buchadas. Uso:  Na feira de Canudos, você encontra um bucho bom e barato (CARDOSO, 2011, p.18).

Barreiro Trincheira

Tanques longos, estreitos e fundos escavados no solo. Partindo do conhecimento que as famílias têm da região, o barreiro-trincheira é construído em um terreno plano e próximo ao terreno da área de produção. (FERREIRA, 2014) Uso: O barreiro trincheira ele é uma aguada geralmente com capacidade acima de 500 metros cúbicos que serve para o armazenamento de água. (IRPAA, 2014).

Bocado

 

bo.ca.do/substantivo. 1. Uma quantidade grande de algo.  2. A palavra bocado é usada para fazer referência a uma quantidade grande, porém não facilmente mensurável. Uso:  Um bocado de toco é juntado em cima das carnes de Pontuda (LOPES, 1992, p. 38).

Buião

bui.ão/substantivo. Espécie de bule de barro. Uso: Joana botou o café no buião (CARDOSO, 2011).

Barreiros

bar.rei.ros/substantivo. 1. Lugar, na margem do rio, escarpado e sem mato. 2. Lugar onde há ou donde se extrai barro. (FERREIRA, 2014) Uso: O uso de pequenos barreiros em propriedades onde a ênfase é a agricultura familiar além do custo torna-se ineficiente. (IRPAA, 2012)

Bocapiu

 

bo.ca.piu/substantivo  1. O bocapiu é uma sacola feita normalmente com palha de licuri trançado ou fibras de caroá, utilizada para colocar alimentos.  2. Os vaqueiros utilizam como bolsa para a caça. 3. Em alguns lugares as pessoas usam para fazer a feira. 4. Também conhecido como Aió e Cofo, só que mais arredondados com uma alça de um lado a outro. Uso. Nas mãos e ombros, sacos e bocapius. (LOPES, 1992, p. 27).

Bujão

 

bu.jão/substantivo. 1. botijão. 2. Vaso cilíndrico de boca curta usado para armazenar o gás de cozinhar. Uso: O bujão secou e ficamos sem almoço em casa no domingo (CARDOSO, 2011).

Barriguda

 

bar.ri.gu.da/substantivo. Botânica.  1.  Nome dado a uma árvore nativa do semiárido baiano.  2. A barriguda tem um tronco muito largo e arredondado, lembrando uma pessoa barriguda.  3.  A árvore fornece um  tipo de lã utilizada para encher travesseiros.   Adjetivo. Uma mulher grávida é uma mulher barriguda. Sinônimo. Buchuda.  Usos: (1) Esse travesseiro é de lã de barriguda; (3) A filha de Chicó está barriguda de gêmeos (CARDOSO, 2011). 

Bode

 

bo.de/substantivo. 1.  Bode  é nome dado ao macho da cabra.  2. Cigarro de palha ou de fumo de corda.  Usos. (1) A carne de bode é muito consumida no semiárido baiano. (2) Bento fez um bode, acendeu e foi chiqueirar as cabras (CARDOSO, 2011).

Buléa

 

bu..a/substantivo. Cabina de carro ou de caminhão. Uso: A velhinha vai na buléa do carro (CARDOSO, 2011). 

Barrufado

 

bar.ru.fa.do/adjetivo.  1.  Do verbo barrufar; 2. Diz-se que uma pessoa ou algo está barrufado quando está molhado por  barrufos de chuvas.  Uso: Luiz  levou sereno e volto barrufado do curral (CARDOSO, 2011).

Bodega

Bo.de.ga/substantivo. Pequeno estabelecimento ou armazém. (FERREIRA, 2014) Uso: Vendemos nossos produtos na bodega que tem aqui. (IRPAA, 2011).

Burragem

 

bur.ra.gem/substantivo. 1. O ato de cometer erros. 2. Sinônimo: Burrice.  Uso: O cão de rabo abanando é doido pra alguém fazer burragem (LOPES, 1992, p. 14). 

Barrufo

 

bar.ru.fo/substantivo.  Pingos de chuva. Uso: O menino levou barrufo da chuva.

Bodejo

 

bo.de.jo/substantivo  1. Do verbo bodejar;  2. A voz do bode. Uso. O barulho de tudo no terreiro: chocalhos, passos, berros de gado, bodejo dos bodes (LOPES, 1992, p.33). 

Burundanga

 

Bu.run.dan.ga/substantivo. Muita coisa bagunçada. Uso: Que burundanga é essa? (CARDOSO, 2011). 

Baruiê

 

ba.ru./substantivo. Palavra de uso nas comunidades indígenas Kiriri que nomeia uma bebida feita de milho pisado no pilão e utilizada no ritual do toré e em outros momentos específicos (REIS, 2014).

Universidade do Estado da Bahia - UNEB - Departamento de Ciências Humanas - DCH - Campus III
Rua Edgar Chastinet, s/n, São Geraldo - 48.905-680, Juazeiro - Bahia - Brasil
Desenvolvido por Kikovillar


  • parceiro03
  • parceiro 4
  • uneb_banner
  • banner  264 x 233 px 1